Blogueiros pelo mundo: Paris, França

Blogueiros pelo mundo: Paris, França

Colaborador E-Dublin

1 ano atrás

Siga o E-Dublin no Instagram

Sempre tive dificuldades em aprender idiomas e por causa disso sentia que minha carreira de jornalista não era completa. Também trabalhava em algo que detestava (assessoria de imprensa). Aí fiquei doente e um ano afastada, quase sem andar. Foi o empurrão que precisava pra ter coragem de partir. Como já tinha vindo para Paris e me apaixonei, foi o lugar que escolhi para passar um tempo e aprender a língua.

Me matriculei em uma escola de francês e tirei visto pra 4 meses. A experiência foi tão boa que acabei ficando, renovando o visto, fazendo uma outra faculdade e tirando cidadania italiana. Agora em maio vai fazer 6 anos que estou aqui e não quero ir embora.

Creperie Suzette

Foto: Arquivo pessoal

Como você foi parar no país em que reside agora?

Eu já tinha vindo para cá e sempre fui apaixonada pela cultura e história da França.

Quais são as 3 coisas que você mais gosta em Paris? Por que?

A segurança, a cultura e a comida. Poder chegar meia-noite em casa sem medo e em transporte público é maravilhoso. A cultura, porque minha área é jornalismo cultural. Então aqui tenho assunto de sobra. E a comida, nem precisa falar, né? Muito queijo, batata, chocolate, peixes. Tudo o que adoro!

Quais as 3 coisas que você menos gosta (ou mudaria)? Por que?

A distância da família, o inverno longo e a burocracia francesa, que, às vezes, consegue ser pior que a brasileira.

O que sente mais falta do Brasil?

Da família e dos meus cachorros e gatos. Amigos também, mas nesse quesito ficaria dividida, já que fiz amigos aqui também.

Se você tivesse que sair hoje do Brasil, o que faria diferente?

Teria planejado melhor algumas coisas, como um lugar para ficar. Acabei sendo vítima de algumas pessoas e perdendo dinheiro, coisa que poderia ter evitado.

Uma foto sua que melhor traduz Paris!

DSC09321

Arquivo Pessoal

Qual a sua dica de ouro para quem está pensando em sair do Brasil?

Planeje bastante e – essa é para os estudantes – nunca venha já contando com bolsa ou dependendo só de bolsa de estudos. Já vi muita gente ter problemas com isso aqui. Se possível, veja se o país para onde você vai permite o trabalho e, se sim, procure um trabalho. Além de te dar mais independência, é uma ótima maneira de se inserir na sociedade. A mesma dica para quem vem por causa de um amor: tente ao máximo manter sua independência, principalmente financeira. Se puder arrumar um emprego, arrume. O resto a gente tira de letra.

Sobre o blog:
O Direto de Paris é parte da realização de um sonho e um mix de paixões da paulistana e jornalista Renata Inforzato, que ama viajar, escrever, conhecer pessoas e ouvir histórias. O resultado é um blog com dicas, fatos e histórias da vida em solo francês! Para conhecer mais, basta acessar o Direto de Paris.

Blogueira: Renata Rocha Inforzato
Cidade de Origem: São Paulo – SP
Cidade/país onde reside atualmente: Paris, França

Revisado por Tarcísio Junior
Encontrou algum erro ou quer nos comunicar uma informação?
Envie uma mensagem para jornalismo@e-dublin.com.br

Avatar
Colaborador E-Dublin, Este conteúdo - assim como as respectivas imagens, vídeos e áudios - é de responsabilidade do colaborador do E-Dublin e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Quer ver sua matéria no E-Dublin ou ficou interessado em colaborar? Envie sua matéria por aqui!

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar