Guia: como conseguir visto de trabalho na Irlanda

Elizabeth Gonçalves

7 meses atrás

Siga o E-Dublin no Instagram

Guia: como conseguir visto de trabalho na Irlanda

Muitos intercambistas brasileiros embarcam para a Irlanda com o objetivo de, durante o intercâmbio, conseguir um emprego na área de atuação e obter um visto de trabalho para permanecer no país.

A Irlanda tem se recuperado de um período de recessão, e como consequência disso, vários setores da economia do país retomaram crescimento e precisam de profissionais qualificados.

Não é mais novidade para ninguém que a Irlanda importa talentos da área de TI para suprir a demanda do seu mercado de trabalho. Mas, o que acabamos esquecendo é que sim, existem outros setores no país carentes de profissionais.

De acordo com um relatório publicado recentemente pela CPL, maior empresa recrutadora na Irlanda, as vagas no mercado de trabalho irlandês não estão restritas exclusivamente ao setor de tecnologia.

Segundo o documento, no último ano, a agência observou um crescimento de 25% nas vagas relacionadas ao setor de vendas e marketing, por exemplo, quando comparado com 2016.

Outras áreas de destaque no mercado irlandês são os setores de finanças e contabilidade, que continuam fortes no país. O mesmo vale para o setor de tecnologia.

Visto de trabalho

Segundo estatísticas publicadas pelo Department of Business, Enterprise and Innovation, em 2018, foi concedido o total de 4711 vistos de trabalho.

Algumas das nacionalidades que mais se beneficiaram pela medida são: Índia, Estados Unidos, Filipinas, Brasil, Paquistão e China.

Entre os setores que mais concederam vistos de trabalho a profissionais qualificados de fora da União Europeia se destaca, primeiramente, o segmento de saúde, empregando 570 estrangeiros apenas no mês de maio. Em seguida, está o de serviços, com 392 vistos concedidos; e o setor de indústrias, com 145 vistos concedidos em maio.

Tipos de visto

Claro que, antes de aplicar para o visto de trabalho é essencial saber que existem vários tipos de permissão de trabalho na Irlanda. Atualmente, a lista engloba 9 categorias, entretanto, duas são as mais populares e questionadas pelos brasileiros: o visto Stamp 2, a General Employment Permit e a Critical Skills Employment Permit, este substitui o antigo Green Card.

Visto stamp 2 – 20h de trabalho apenas

Vamos começar pelo mais comum, aquele que seduz a maioria dos estudantes que escolhem a Irlanda para aprender inglês com permissão de trabalhar 20 horas semanais ou, 40 horas em períodos específicos do ano.

Pessoas elegíveis ao visto: Cidadãos non-EEE que viajem para a Irlanda com o objetivo de estudar em cursos de idioma ou universitários em instituições aprovadas pelo governo irlandês por um período mínimo de 6 meses (e máximo de 8 meses – para estudantes de idiomas). Pode ser renovado até 2 vezes.

Documentos necessários:

– Carta da escola, com curso de carga mínima semanal de 15h/aula por semana;
– Ter seguro governamental ou médico privado de uma empresa estabelecida na Irlanda;
– Comprovante de pagamento do curso;
– 3.000 euros comprovados em extrato de uma conta em banco irlandês ou outro método aceito pelo governo;
– Comprovação de endereço;

– Prova de que a escola possui o Learner Protection;
– O valor de 300 euros pelo registro do Irish Residence Permit  – IRP;

Áreas de atuação: como os portadores desse visto podem trabalhar até 20h semanais durante o período de aulas e até 40h em meses específicos (entre os meses de junho e setembro; e entre 15 de dezembro e 15 de janeiro), esse visto acaba limitando as ofertas de trabalho. Assim, muitos estudantes acabam tendo como opção áreas como comércio e serviços, atuando em lojas, cafés, restaurantes, hotéis, etc.

Limitações: além de restringir as possibilidades no mercado de trabalho, o Stamp 2 não é um visto de residência. Desta forma, os estudantes podem permanecer no país por um período máximo de 7 anos.

Áreas que não dão visto de trabalho

Como citamos no item acima, o visto stamp 2, é apenas uma permissão de trabalho, limitado pela carga horária de 20h semanais.  O que difere completamente de um VISTO DE TRABALHO, como citaremos adiante neste guia.

Estrangeiros com o stamp 2 podem trabalhar em qualquer setor, desde que se respeite a carga horária limite. Cargos de gerência em lojas, restaurantes, hotéis, agências de viagens, entre outros, fazem parte da lista de carreiras inelegíveis ao visto de trabalho, e podem ser supridos por estrangeiros com visto stamp 2.

Essa lista também inclui profissionais de áreas como: serviço social, técnicos em arquitetura, massagistas, psicólogos, policiais, personal trainer, mecânicos, eletricistas, entre outros.

Vamos supor que  você trabalha em uma rede de lojas e o seu chefe te ofereceu uma vaga full time de gerente? Infelizmente esse cargo não vai lhe proporcionar o visto de trabalho, mesmo se o seu salário seja superior a 30 mil euros anuais.

A oferta de emprego e sua importância para o visto de trabalho

Para aplicar para o visto de trabalho, primeiramente você precisa receber uma oferta de emprego, chamada aqui de job offer. Ou seja, isso só acontece depois que você é aprovado na entrevista.

Com esse documento em mãos, você pode começar a dar entrada no processo de aplicação do visto, que consiste primeiramente em preencher um formulário online, disponível no portal do Department of Business, Enterprise and Innovattion (DBEI).

Conheça os dois principais vistos de trabalho disponíveis na Irlanda

1. General Employment Permit

A categoria General Employment Permit engloba profissionais das mais diversas áreas. Os requisitos para aplicar para este visto são:

– Descrição completa do emprego proposto;
– É necessário que a vaga em questão não esteja em uma categoria de trabalho excluída sob as Categorias de Emprego Inelegíveis para o visto;
– Informações relativas às qualificações ou experiência exigidas para a vaga;
– Remuneração anual mínima – geralmente é de 30.000 euros. No entanto há exceções como:

1. € 27.000 para estudantes não pertencente a União Europeia – que se formou nos últimos 12 meses, em uma instituição irlandesa de terceiro nível, e recebeu uma proposta de trabalho em área presente na lista de carreiras elegíveis. entretanto, a remuneração mínima anual deve ser de € 30.000 na fase de renovação;

2. € 27.000 para estudantes não pertencente a União Europeia EEA – que se formou nos últimos 12 meses em uma instituição de terceiro nível no exterior, e recebeu uma proposta como profissional na área de TI. Entretanto, a remuneração anual mínima deve ser de 30.000 euros na fase de renovação;

3. € 27.000 para uma posição que requeira uma pessoa fluente na língua oficial de um estado que não seja um Estado membro da União Europeia, onde a vaga seja apoiada por uma agência de desenvolvimento empresarial e o emprego seja:

– atendimento ao cliente em papel de vendas com conhecimento relevante do produto;
– um papel especializado em marketing digital e vendas on-line, ou
– suporte especializado em idiomas e suporte técnico de vendas;

4. € 27.500 para vagas de açougueiro.

A principal vantagem desse visto é que ele possui uma gama mais ampla de ocupações do que as outras classes de permissão de trabalho. Com isso, exceto as carreiras descritas na lista de carreiras inelegíveis para visto, todos os profissionais podem se candidatar, desde que atendam aos requisitos descritos acima.

Quais os pré-requisitos considerando a empresa?

Somente serão aceitas inscrições de empregadores devidamente cadastrados no Revenue (equivalente à Receita Federal na Irlanda).

Outro fator é que o visto de trabalho é emitido apenas se pelo menos 50% dos empregados da empresa sejam cidadãos da União Europeia (regra dos 50:50).

Quanto custa?

– €500 para uma autorização de trabalho de 6 meses ou menos;
– €1.000 para uma autorização de trabalho de 6 meses a 24 meses de duração;

Tempo de processamento

A entrada no visto deve ocorrer num período mínimo de 12 semanas da data proposta para início no trabalho.

É necessário sair da Irlanda para aplicar para o visto?

Não, estudantes portadores do visto Stamp 2, por exemplo, podem aplicar para o visto de trabalho sem precisar deixar o país.

Pode-se migrar do visto de estudante?

Sim. Estudantes que receberem uma oferta de trabalho dentro das categorias elegíveis descritas acima podem aplicar para o visto de trabalho.

2. Critical Skills Employment Permit ou Green Card

As ocupações elegíveis sob este tipo de autorização são consideradas extremamente importantes para o crescimento da economia da Irlanda, são altamente exigidas e altamente qualificadas e em escassez significativa de oferta no nosso mercado de trabalho.

Para ser elegível a este visto é necessário:

1. Ocupações com uma remuneração anual mínima de € 30.000 áreas descritas na lista de carreiras elegíveis ao visto. Uma qualificação universitária é requisitada para aplicação ao visto.

2. Todas as profissões com uma remuneração anual mínima superior a € 60.000, desde que não estejam inclusas na lista de carreiras inelegíveis ao visto. Um cidadão não pertencente a EEE que não possua uma qualificação superior ou superior, deve ter o nível necessário de experiência para aplicar para o visto.

3. O empregado deve ter garantido uma oferta de trabalho de 2 anos.

Áreas elegíveis

O DBEI disponibiliza online uma lista completa das áreas que atualmente sofrem com a de profissionais qualificados na Irlanda e que, consequentemente, necessitam de profissionais estrangeiros para suprir a demanda. Vale destacar que esta lista é atualizada diversas vezes durante o ano, com a inclusão de novas profissões. A lista de carreiras elegíveis inclui:

– Profissionais de ciências naturais e sociais (químicos, cientistas)

– Profissionais de engenharia

– Profissionais de TI

– Profissionais de saúde (médicos, farmacêuticos, audiologistas, radioterapeuta)

– Gerentes e diretores de saúde e serviços sociais

– Profissionais de enfermagem e obstetrícia

– Ortopedistas

– Paramédicos

– Professores e profissionais da área educacional (desde que possuam diploma de doutorado)

– Contadores e consultores de impostos qualificados

– Diretores de arte e animação 2D e 3D

– Designers

– Profissionais com expertise  e especializados em vendas e marketing

Como aplicar

Todo o processo de aplicação para os vistos de trabalho irlandeses deve ser feito por meio do site do Departamento de Negócios, Empresa e Inovação (DBEI). Como mencionamos anteriormente, tanto o empregador quanto o empregado podem realizar a inscrição e submeter a documentação exigida.

Vale destacar que é necessário encaminhar a aplicação para o visto pelo menos 12 semanas antes da data proposta para o início do trabalho. Ou seja, se empregador deve estar preparado para esperar, pelo menos 3 meses para que você ocupe o cargo que lhe foi oferecido.

O formulário é divido em seis partes, sendo a primeira com informações cadastrais do contratante e a segunda e terceira com dados cadastrais do contratado, como nome, endereço, estado civil, IRP, histórico educacional, se possui emprego atualmente e, se sim, qual a permissão que teve para trabalhar até agora. Como, por exemplo, o visto de estudante que tiramos para o intercâmbio que te permite trabalhar 20 horas semanais.

Na quarta parte do formulário é que a atenção deve redobrar, pois é nela que o deve-se virar um expert em marketing pessoal, mostrando que tem habilidades e experiências que um possível empregado europeu não teria.

Na quinta parte do formulário, são detalhadas as informações sobre salário e as formas de pagamentos acordadas com a empresa. E na sexta e última parte são especificados os termos e condições de aceitação para o visto de trabalho. Nele, são solicitadas as assinaturas originais, abaixo das declarações necessárias para a aplicação, do empregador, do empregado e da agência, caso a contratação tenha sido feita por uma agência de empregos.

Validade do visto

O visto de Critical Skills é emitido por um período de dois anos e após este período ele não precisa ser renovado. Ao invés, o profissional pode aplicar para o visto stamp 4, que lhe dará o direito de morar e trabalhar na Irlanda por até dois anos, podendo ser renovado. Após um período de 60 meses com o visto stamp 4 o profissional poderá aplicar para residência de longo prazo.

Aplicação negada. Sim, pode acontecer

Para evitar ter a aplicação negada é necessário preencher o formulário com atenção e deixar muito claro que você é um expert na área, além de incluir todos os documentos que comprovem isso.

Se não ficar explícito que foram feitos esforços (ou eles assumirem que não) para contratar um irlandês ou um europeu, sua aplicação poderá ser negada. Por isso fica aqui a dica de se elaborar uma boa resposta na hora de falar sobre as experiências e habilidades (skills) do contratado. Comece citando sua experiência com o mercado latino-americano, o fato de falar Brazilian-Portuguese fluentemente e também não deixe de citar caso possua alguma experiência com mercado Internacional. Lembre-se, também, que as chances aumentam se tiver em mãos suas certificações e diplomas traduzidos e juramentados.

Quanto custa?

A taxa de aplicação para este visto é de 1000 euros, sendo que 90% é reembolsável caso a aplicação seja negada. Além da taxa de aplicação você também precisará pagar os 300 euros para a emissão do IRP (Irish Residence Permit), o antigo cartão GNIB.

Tempo de espera

As aplicações para visto de trabalho são processadas pelo DBEI em ordem de data. O acompanhamento pode ser realizado online e atualmente dura entre 5 e 12 semanas para ser processada.

Todo o processo de aplicação é realizado online com o objetivo de tornar o procedimento mais ágil e atender a demanda do mercado de trabalho a tempo hábil.

Além disso, se a sua aplicação para o visto é recusada, você tem o prazo de 28 dias para pedir a revisão do resultado. Isso pode ser feito utilizando o formulário online disponível no portal do DBEI.

 

Tenho o visto stamp 1G, posso trabalhar?

O Graduate Scheme é um programa que dá aos estudantes graduandos o direito de trabalhar full time no país pelo período máximo de 24 meses. O objetivo é dar a esses profissionais recém-graduados a oportunidade de encontrar um trabalho que lhes conceda o visto de trabalho.

Assim, após concluir os seus estudos, os estudantes que aplicarem para este visto recebem em seu passaporte o Stamp 1G. De acordo com o órgão, essa mudança tem como objetivo distinguir esse grupo de estudantes dos demais, além de deixar claro para os empregadores que esses profissionais podem ser contratados para trabalhar em período integral.

Tenho o stamp 3, o que eu faço?

O visto Stamp 3 é concedido a esposas, maridos e dependentes de cidadãos não europeus que possuem o direito de trabalhar legalmente na Irlanda. Sob este visto, essas pessoas podem permanecer no país por um período determinado, entretanto, não podem trabalhar ou abrir um negócio.

Porém, essas pessoas podem procurar trabalho e, assim que obtiverem uma proposta de emprego devem aplicar para o visto de trabalho, neste caso, chamado de Dependant/Partner/Spouse Employment Permit.

Entretanto, muitos empregadores não sabem que os portadores do visto Stamp 3 podem solicitar uma permissão de trabalho, descartando assim as possibilidades dessas pessoas conseguirem uma colocação profissional no país.

É justamente por isso que nos últimos meses surgiu na Irlanda a Reform Stamp 3, uma campanha pede que a imigração irlandesa reveja esta categoria de visto, já que a mesma tem impedido que profissionais qualificados entrem no mercado de trabalho irlandês.

Avatar
Elizabeth Gonçalves, Elizabeth Gonçalves é jornalista viciada em cinema, música e literatura. Paulistana, se apaixonou por Dublin, onde mora há cinco anos e sonha em fazer uma viagem de volta ao mundo.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar