Países que exigem vacinação antes do embarque

Países que exigem vacinação antes do embarque

Elaine Wzorek

6 meses atrás

Siga o E-Dublin no Instagram

Precisa vacinar?

Você guardou aquela grana e planejou uma trip incrível pela Ásia. Vietnã e Camboja estão no roteiro. E aí, na hora do embarque, perguntam pelo seu certificado de vacinação. Oi?

Alguns países exigem vacinação pré-viagem. © Tero Vesalainen | Dreamstime.com

Alguns países exigem vacinação pré-viagem. © Tero Vesalainen | Dreamstime.com

Pois é… Alguns países exigem vacina, muitas vezes, comprovada por um certificado internacional. Essa não é uma exigência tão comum, mas é sempre bom dar uma olhada quando for planejar uma viagem.

Só não adianta conferir um dia antes da partida, porque a vacina contra a febre amarela, por exemplo, precisa de dez dias para fazer efeito, de modo que tomar na véspera do voo significa que você não estará, ainda, imune à doença.

O exemplo que demos acima não foi à toa, já que a vacina contra a febre amarela é a mais exigida. Portanto, se você é aventureiro e adora estar na estrada, vale a pena tomá-la, já que a sua validade se estende por dez anos.

As exigências variam de acordo com o destino, origem e, até, conexão. A Arábia Saudita, por exemplo, exige vacinação contra poliomielite e doença meningocócica.

Para todos os viajantes

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), Bolívia, Angola, Mali, Costa do Marfim e uma série de países africanos exigem a vacinação para liberar sua entrada, não importa de onde você venha.

Só para quem vem de área de risco

Existe, ainda, uma lista muito maior: a da exigência de vacinação àqueles que vêm de áreas de risco, na qual o Brasil está incluído. Além do nosso, que ganhou lugar graças à febre amarela, fazem parte desta lista países como China, Costa Rica, Camboja, Egito, Equador, Guatemala, Índia, Madagascar, Malta, Nepal, África do Sul, Tunísia, Vietnã.

Portanto, se você vai do Brasil para algum desses países, melhor garantir a vacina e o certificado, que explicaremos daqui a pouco como conseguir. Isso envolve, também, conexões.

As regras são diferentes em cada país, mas, se você fará conexão em um dos lugares dessa lista, mesmo que fique apenas algumas horas no aeroporto, é melhor viajar prevenido!

A lista completa com todas as áreas de risco ou com os países que exigem vacina você encontra aqui, no site da OMS.

febreamarela

Como dissemos, a OMS faz recomendações pontuais no que diz respeito a vacinas para quem viaja a alguns países específicos. Para aqueles que querem se aventurar por países asiáticos e africanos, a recomendação é de que estejam vacinados contra cólera, hepatite A, raiva e febre tifoide, pois essas áreas são consideradas de alto risco de contaminação.

Se você visitar países africanos com risco de contaminação de malária, poderá optar por medicamentos que previnam a doença.

A Anvisa disponibiliza centros de orientação ao viajante no Brasil todo. Lá, você pode receber orientações direcionadas ao seu roteiro de viagem. Confira a lista dos endereços aqui.

Certificado Internacional

A carteirinha de vacinação que você recebe no posto de saúde não tem validade fora do Brasil. Por isso, você precisa pegar o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP).

Para retirar o seu, é preciso levar a carteirinha até um dos Centros de Orientação ao Viajante. Confira se na carteira de vacinação constam o lote da vacina, a assinatura do profissional que a aplicou, a identificação da unidade de saúde e a data da aplicação.

Vale ficar de olho, também, em outras vacinas necessárias, caso você vá para regiões endêmicas, como é o caso da vacina contra a Hepatite A, transmitida principalmente por alimentos e água contaminada.

Texto foi revisado por Irene Canadinhas

Avatar
Elaine Wzorek, Co-fundadora do portal Reinventa Jornalista, brasileira, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná, ex-repórter do E-Dublin TV. Em 2011, deixou o Brasil para aperfeiçoar o inglês e realizar mais um sonho: conhecer a Europa. O intercâmbio, em Dublin, deveria durar 6 meses, mas se estendeu por dois anos e mudou sua forma de ver a vida e a profissão.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar